Sexta-feira, 13 de Setembro de 2019
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
18°
12°
15°C
Salto do Jacuí/RS
Tempo nublado
C
Arroio do Tigre
No ar: Bom Dia Geração
Ao Vivo: Bom Dia Geração
Notícias

Região Central tem maior nº de focos de raiva no RS em 2016

Região Central tem maior nº de focos de raiva no RS em 2016
25.05.2016 15h01  /  Postado por: upside

 O Centro do Rio Grande do Sul é a região com o maior número de casos de raiva paralítica no Estado este ano. Já são 10 focos registrados em propriedades rurais, ocasionando cerca de 30 mortes, entre bovinos e equinos, conforme estimativa da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Irrigação.
Foram registrados quatro focos em Nova Palma, três em Pinhal Grande, um em Ivorá, um em Restinga Seca e um em Lavras do Sul. Segundo o coordenador do Programa de Controle da Raiva em Herbívoros no Estado, Nilton Rossato, é a única região em que o Estado enfrenta problemas para exterminar com os focos de raiva paralítica. Os primeiros casos começaram a surgir em Paraíso do Sul, ainda no ano passado, e se espalharam para toda a região.
O número em 2016, entretanto, não é considerado elevado. A raiva paralítica é transmitida por meio de morcegos (a maioria deles hematófagos) infectados pela doença. O contágio só é confirmado através de exames de laboratório. O último surto no Estado foi em 2011, em São Lourenço do Sul. Desde então, a doença está controlada. As únicas maneiras de prevenção são a captura dos morcegos e a vacinação, que é opcional, já que a doença não pode ser transmitida de bovinos para bovinos. A raiva furiosa, transmitida principalmente através de cães e gatos, não circula mais no RS.
O animal contaminado pela raiva bovina leva em torno de 60 dias para manifestar os sintomas. Ele fica apático e se separa do rebanho; depois, apresenta dificuldades para caminhar e engolir, além de lesões na coluna, o que ocasiona paralisação nos membros posteriores. Depois que começa a apresentar os sintomas, morre em cerca de uma semana.
Da Rádio Gaúcha

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.