Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Ensolarado
23°
12°
23°C
Salto do Jacuí/RS
Ensolarado
Tempo limpo
24°
11°
23°C
Arroio do Tigre
Tempo limpo
No ar: Frequência 107
Ao Vivo: Frequência 107
Justiça

Justiça Federal condena homem acusado de roubar agência dos Correios de Novo Cabrais

Justiça Federal condena homem acusado de roubar agência dos Correios de Novo Cabrais
10.07.2019 16h08  /  Postado por: Redação

A 1ª Vara Federal de Cachoeira do Sul (RS) condenou a mais de sete anos de reclusão um homem acusado de roubar a agência dos Correios de Novo Cabrais. A sentença, publicada na segunda-feira, 08, é da juíza Gianni Cassol Konzen.

O Ministério Público Federal (MPF) ingressou com a ação narrando que, em setembro de 2018, o denunciado entrou na agência, portando um revólver, e, após alguns instantes, anunciou o assalto. Ele ameaçou gravemente o funcionário do local, levando seu celular e R$ 140,00 do caixa.

O autor da ação afirmou ainda que o homem pulou o balcão de atendimento e entrou na área restrita da agência, onde está localizado o cofre, mas não conseguiu abrir o equipamento em função dele estar com abertura programada. O indiciado amarrou então as mãos e colocou fita na boca do funcionário, procurou outros objetos para subtrair e, não encontrando, saiu tranquilamente do local vestindo roupa similar as utilizadas por trabalhadores da empresa fornecedora de energia elétrica.

Em sua defesa, o homem pleiteou pela improcedência da acusação por insuficiências de provas. Para ele, não haveria comprovação robusta para confirmar que ele é o autor do delito.

Ao analisar o conjunto probatório anexado aos autos, a juíza federal Gianni Cassol Konzen entendeu estarem demonstradas a autoria, materialidade e dolo no fato narrado pelo MPF. Ela ainda destacou que o roubo ocorrido na agência dos Correios da cidade vizinha de Vale Verde tem o mesmo modus operandi do narrado neste processo e possui o réu como o principal suspeito.

A magistrada julgou procedente a ação condenando o homem a sete anos e nove meses de reclusão e fixou o valor mínimo de reparação dos danos causados em R$ 740,00, atualizados monetariamente. O réu não poderá apelar em liberdade ao TRF4.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.