Terça-feira, 26 de Maio de 2020
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Parcialmente nublado
15°
14°C
Salto do Jacuí/RS
Parcialmente nublado
Parcialmente nublado
15°
14°C
Arroio do Tigre
Parcialmente nublado
No ar: Frequência 107
Ao Vivo: Frequência 107
Agricultura

Fórum de Segurança Alimentar em Arroio do Tigre destaca as Plantas Bioativas

Fórum de Segurança Alimentar em Arroio do Tigre destaca as Plantas Bioativas
Foto: Ismael Begrow
17.09.2019 15h17  /  Postado por: Elion Silva

Integrantes dos 12 grupos de Agricultoras de Arroio do Tigre participaram na sexta-feira, 13, no salão paroquial católico, do 9º Fórum Municipal de Segurança e Soberania Alimentar. O evento, que teve como tema ““A saúde na sua porta!”. O uso das plantas medicinais, aromáticas e condimentares na alimentação”, é resultado de um trabalho desenvolvido pela Emater/RS-Ascar e Associação das Agricultoras, com o apoio do Núcleo de Atenção à Saúde da Família (Nasf) e envolveu a participação de mais de 160 pessoas no decorrer do ano.

A programação do Fórum contou com a avaliação das ações desenvolvidas no Projeto Municipal de Segurança e Soberania Alimentar e trabalhos em grupo, que abordaram a quantidade de sal, açúcar e gordura nos alimentos, ministrada pela nutricionista do Nasf, Danieska Ritzel, corredor sensorial de plantas medicinais, aromáticas e condimentares e preparo de sal temperado.

A extensionista rural social da Emater/RS-Ascar, Daniele Centa, destaca a participação das agricultoras nas atividades desenvolvidas. “A integração das agricultoras com os encontros e oficinas realizadas nas propriedades, além da troca de experiências e conhecimentos, tanto entre nós, técnicos, quanto entre as agricultoras e vice-versa foi muito positiva. Para nós, o ganho maior é a disseminação destas plantas para um grande número de pessoas, as quais poderão fazer uso destas em suas propriedades para a manutenção da saúde familiar”, avalia.

Projeto Municipal
O Projeto Municipal de Segurança e Soberania Alimentar iniciou com uma capacitação sobre técnicas de cultivo, princípios ativos e usos das plantas medicinais para 12 agricultoras de diferentes localidades, que se disponibilizaram a acolher em suas propriedades a realização das ações do projeto e a construção de um horto medicinal doméstico. “As plantas medicinais, aromáticas e condimentares são uma forma natural e de fácil acesso às agricultoras, para que possam ampliar as possibilidades de manutenção da saúde e prevenção de doenças, desde que utilizadas da forma correta. Utilizá-las na alimentação, além de agregar mais sabores e aromas aos alimentos, possibilita que toda a família faça uso dos seus princípios ativos e benefícios”, explica Daniele.

Com a cooperação das agricultoras foram desenvolvidas oficinas nas 12 localidades, oportunizando as participantes a capacitação sobre alimentação saudável, técnicas e formas de cultivo de dez espécies em vasos, canteiros elevados ou no solo, entre outros, além dos princípios ativos e usos das mesmas. Foram destacados os fatores que influenciam o desenvolvimento da planta e produção de princípio ativo, como a radiação (luz e calor), nutrientes, umidade, vento, altitude, a escolha do local e preparo da horta para o cultivo.

Ainda foram repassadas orientações sobre a utilização de adubos orgânicos e controle de pragas e doenças com uso de defensivos alternativos. “Falamos também sobre a condução e as formas de propagação e as características de cada uma das dez plantas. Houve visita aos hortos medicinais das propriedades, com a identificação das plantas, seguido do preparo de receitas utilizando as aromáticas e condimentares, a fim de inseri-las de forma mais significativa no dia a dia das famílias”, frisa Daniele. Ao final de cada oficina foram distribuídas mudas a cada agricultora participante.

Segundo a extensionsta, foram elencadas como foco as plantas alecrim, açafrão da terra ou cúrcuma, erva baleeira (caldo de galinha natural), hipérico, manjericão, ora-pro-nóbis, orégano, sálvia, stévia (adoçante natural) e tomilho. “O enfoque do Projeto neste ano é a utilização mais frequente destas dez plantas na alimentação, inserindo nos pratos elaborados no dia a dia das famílias, agregando aromas e sabores e também reduzindo a quantidade de sal e açúcar utilizados, bem como substituindo os ‘temperos industrializados’ pelas plantas, ou no preparo da infusão, o ‘chá’, umas das formas mais utilizadas das plantas pela população, tanto para a promoção da saúde, quanto para a prevenção de doenças, não esquecendo do ‘poder’ curativo das plantas”, conclui Daniele.
Ações na região

Assim como em Arroio do Tigre, o projeto é desenvolvido nos dez municípios que integram a região Centro-Serra. O tema “A saúde na sua porta! O uso de plantas medicinais, aromáticas e condimentares na alimentação” surgiu ainda em 2018, quando extensionistas da Emater/RS-Ascar elaboraram a proposta de capacitar agricultoras, construir hortos domésticos e propagar mudas de plantas medicinais, aromáticas e condimentares, visando identificar, resgatar e incentivar o cultivo e o uso das plantas, utilizando-se dos benefícios oriundos dos princípios ativos nelas existentes, para a promoção da saúde e a prevenção a doenças, agregando mais aromas e sabores aos alimentos ofertados às famílias rurais.

O resultado das ações será apresentado no dia 24 de outubro, em Jacuizinho, durante a realização do 10º Fórum Microrregional de Segurança e Soberania Alimentar, com a participação de agricultoras dos dez municípios. No evento, será realizada a palestra “A Saúde na sua Porta: o uso das plantas medicinais, aromáticas e condimentares alimentação”, ministrada pela extensionista rural social e assistente técnica regional social, Doriana Gozzi Miotto.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.