Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
30°
20°
23°C
Salto do Jacuí/RS
Dia nublado
No ar: Bom Dia Geração
Ao Vivo: Bom Dia Geração
Comércio

Segurança pública é o item que mais afeta a competitividade das empresas no RS, aponta pesquisa

Segurança pública é o item que mais afeta a competitividade das empresas no RS, aponta pesquisa
Foto: Reprodução/ RBSTV
17.09.2018 09h14  /  Postado por: Redação

A atual precariedade no sistema público de segurança tem comprometido o ritmo de investimentos e crescimento econômico do Rio Grande do Sul. Esse foi o principal resultado da Pesquisa de Competitividade Regional realizada pela Amcham Brasil (Câmara Americana do Comércio no Brasil), durante o mês de julho, junto a presidentes e dirigentes de 100 empresas de portes e segmentos variados. A Amcham reúne 5 mil empresas sócias, sendo mais de 800 empresas só no RS.

Perguntados sobre quais as principais desvantagens competitivas do Rio Grande do Sul em relação aos outros estados brasileiros, o item segurança pública aparece para 49,57%, sendo o fator que impacta de forma mais significativa o resultado comercial das empresas locais, ou até as perspectivas de realizar novos investimentos. A falta de uma rede integrada de transportes também é um problema para 23,48% dos respondentes.

O levantamento da Amcham-Porto Alegre mostra também que, na percepção dos entrevistados, outro grande problema do Estado é a Educação (22,12%). Questionados sobre os principais entraves que as empresas enfrentam no cumprimento de suas obrigações, 55,15% dos empresários destacam a burocracia, seguida da regulação deficiente e inadequada.

A pesquisa também identificou que, apesar dos gargalos existentes, o RS é visto como um polo regional estratégico. A força competitiva, segundo 56,52% dos empresários, está na presença forte de universidades de ponta e centros de tecnologia; e na mão de obra qualificada, apontada por 53,04% dos respondentes. Outros diferenciais são a proximidade de grandes empresas, as facilidades logísticas, a infraestrutura e a mobilidade urbana.

Ouça entrevista no player acima.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.