Segunda-feira, 25 de Maio de 2020
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Ensolarado
17°
10°C
Salto do Jacuí/RS
Ensolarado
Tempo limpo
17°
12°C
Arroio do Tigre
Tempo limpo
No ar: Bom Dia Geração
Ao Vivo: Bom Dia Geração
Saúde

Qualidade do atendimento público de saúde em discussão

Qualidade do atendimento público de saúde em discussão
14.07.2015 10h44  /  Postado por: upside

 
A qualidade do atendimento público na saúde, com o intuito de cuidar bem das pessoas foi tema da 3ª Conferência Municipal de Saúde de Salto do Jacuí. Nossa reportagem esteve com um dos palestrantes, Luis Carlos Bolzan, que é presidente do COSEMS-RS – Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul, ex-secretário de Saúde de Novo Hamburgo, e também ex-diretor do Departamento Nacional de Auditoria do Sus – DENASUS, ministrou uma manhã e parte da tarde da Conferência. Bolzan inicia sua fala ressaltando a importância dessas conferências, já previstas na Legislação do SUS – Sistema Único de Saúde – e devem acontecer há cada 4 anos para que a população possa contribuir, dando opiniões e relatando pontos positivos e negativos de cada município. O relatório final pode ter propostas que dizem respeito ao município, ao governo do Estado e do País. Os destaques da fala de Bolzan foram o Histórico do SUS, o que representa para a população Brasileira, o avanço em um comparativo com a época anterior e posterior ao Sistema, salientando que em Salto do Jacuí possui hoje 4 Equipes de Saúde da Família, o que há pouco mais de dois anos atrás não existia, representando a facilidade de acesso do cidadão à saúde pública, tendo cobertura e acesso garantido há 100% da população, um grande avanço, resolvendo parcialmente as demandas populares. Ele também ressaltou a importância de discussões sobre o financiamento privado das campanhas políticas, explicando a relação com a saúde pública e citando o Deputado Eduardo Cunha. 
Sobre as consequências que essas medidas trarão para o SUS, Bolzan salienta que quando foi votado o regime de partilha, também foi votada a distribuição dos royalties do petróleo, decidindo que 75% ficariam para a educação e os 25% restantes para a saúde. Com o projeto de Lei do Senador Serra, essas decisões seriam revogadas, basicamente. As doações de empresas privadas para as campanhas de candidatos interferem diretamente na vida da população, e se não houver atenção às suas decisões, a riqueza do povo brasileiro irá ficar cada dia mais escassa, e os políticos irão ficar com o valor apenas para eles, tendo uma relação direta, pois retira dinheiro da saúde. Foi pedido o apoio dos conferencistas, para que vá para o relatório estadual e federal, requerendo cada vez mais procedimentos na área hospitalar, pedindo para que o retrocesso pare. A crise já atingiu vários setores, e questionamos como fica a situação da região.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.