Segunda-feira, 06 de Julho de 2020
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
15°
10°
13°C
Salto do Jacuí/RS
Tempo nublado
Tempo nublado
14°
12°C
Arroio do Tigre
Tempo nublado
No ar: Frequência 107
Ao Vivo: Frequência 107
Agricultura

Número de municípios que decretaram situação de emergência pela estiagem chega a 50 no RS

Número de municípios que decretaram situação de emergência pela estiagem chega a 50 no RS
Milho, como essa lavoura localizada em Marau, está entre as culturas mais prejudicadas no Estado - Foto: Isadora Neumann / Agencia RBS
16.01.2020 10h17  /  Postado por: Redação

A estiagem e a irregularidade da chuva que caiu nas últimas semanas elevou, mais uma vez, o número de cidades em situação de emergência no Rio Grande do Sul. De acordo com o último levantamento da Defesa Civil estadual, 50 prefeituras já formalizaram a ação. Todas alegam perdas nas lavouras e pedem auxílios que vão de renegociação de dívidas a água potável para moradores.

Desde terça-feira (14), oito cidades somaram-se à lista das que estão pedindo ajuda do Estado e da União: Canudos do Vale, Barros Cassal, Quinze de Novembro, Ibirubá, São Gabriel, Vera Cruz, São Domingos do Sul e Faxinal do Soturno. Outros 15 municípios já deram entrada no sistema integrado de informações sobre desastres, o que indica que podem assinar o decreto nos próximos dias.

Nenhum município teve até agora a situação de emergência homologada. Essa é a parte do processo que costuma demorar mais e depende dos governos estadual e federal. A iniciativa das prefeituras visa a facilitar o recebimento de recursos e, assim, amenizar os problemas dos agricultores, ajudando também na renegociação de dívidas.

A estiagem que atinge o Estado desde dezembro — e que deverá permanecer até o final de fevereiro —, é considerada a mais severa desde 2012. Somente em Santa Cruz do Sul e Venâncio Aires, o prejuízo é estimado em mais de R$ 100 milhões. Na Serra, a quebra na safra da uva pode chegar a 30%.

As culturas mais atingidas são as de milho, soja, feijão e leite. Nesta semana, entidades que representam agricultores e o governo gaúcho formularam um documento com 10 reivindicações de auxílio imediato.

Uma delas, a prorrogação do calendário de plantio do milho e da soja, não foi bem recebida no Ministério da Agricultura. No entanto, o Estado segue atuando nos bastidores, tentando sensibilizar a ministra Tereza Cristina. A justificativa é que, como a chuva cai de forma esparsa, poderá possibilitar o plantio em algumas regiões.

Cidades que já informaram perdas

Alto Alegre
Arroio do Tigre
Butiá
Fontoura Xavier
Ibirama
Maquiné
Marau
Montauri
Nova Bassano
Novos Cabrais
Passa Sete
Pinhal Grande
Salto do Jacuí
Santo Antônio da Patrulha
Soledade

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.