Sábado, 20 de Julho de 2019
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
23°
11°
12°C
Salto do Jacuí/RS
Tempo limpo
No ar: As Primeiras de Sábado
Ao Vivo: As Primeiras de Sábado
Polícia

Homem que matou quatro pessoas em Pinhal Grande é condenado a 128 anos de prisão

Homem que matou quatro pessoas em Pinhal Grande é condenado a 128 anos de prisão
13.06.2018 09h09  /  Postado por: Magali Drachler

O autor confesso de uma chacina que vitimou quatro pessoas em Pinhal Grande, em 2016, foi condenado a 128 anos de prisão em regime fechado, por homicídio e estupro, pela Justiça de Júlio de Castilhos, na Região Central do Rio Grande do Sul, nesta terça-feira,12. O tribunal do júri foi presidido pelo juiz Ulisses Drewanz Grabner.

Ariosto da Rosa, 43 anos, está preso desde 2016. Sua defesa deve recorrer da sentença, para retirar os qualificadores. Em frente ao Fórum de Júlio de Castilhos, os familiares das quatro vítimas pediram por justiça.

Ele foi condenado a 30 anos e 8 meses de prisão pela morte de Afonso Gonçalves, 60 anos, 30 anos e 8 meses pela morte de Iran Gonçalves dos Santos, 10 anos, a 23 anos pela morte de Alex Cardoso Leal, 17, e  25 anos pela morte de sua enteada, Bianca Moraes de Salles, 16 anos. Além disso, ele ainda foi condenado a 18 anos e 8 meses pelo estupro de Bianca.

O réu confessou os crimes. A chacina começou quando ele matou a tiros a enteada, Bianca Moraes de Salles, de 16 anos, em casa. Depois, saiu e matou Iran Gonçalves dos Santos, de 10 anos, e Alex Cardoso Leal, de 17 anos, enquanto eles aguardavam o ônibus escolar. E logo depois, Ariosto terminou a chacina ao matar Afonso Gonçalves, de 60 anos, em sua propriedade rural.

Ele fugiu e foi considerado foragido pelos 20 dias seguintes. Neste período, a cidade de Pinhal Grande, com cerca de 5 mil habitantes, foi tomada pelo medo de que ele aparecesse e matasse outras pessoas.

Ariosto foi encontrado pela Polícia Civil no interior de Dona Francisca, cidade na região. Desde então, o réu foi mantido preso.

O QUE DISSE O RÉU SOBRE OS ASSASSINATOS:

  • BIANCA MORAES DE SALLES, 16 ANOS

Segundo Ariosto, teria sido um tio de Bianca quem a estuprou. Durante depoimento ao juiz, ele negou a acusação de estupro e se disse arrependido.

– Ela me acusou de passar a mão nela um ano antes – relatou Ariosto.

  • IRAN GONÇALVES DOS SANTOS, 10 ANOS

– O pai dele me devia, procurei a polícia e nada foi feito e acabou acontecendo – respondeu quando questionado sobre a motivação da morte do menino.

  • ALEX CARDOSO, 17 ANOS

Indagado sobre o que levou a matar o adolescente, o réu rebateu: “Não foi covardia. Ele passou veneno no meu milho, porque ele não pensou antes?”

  • AFONSO GONÇALVES, 60 ANOS

Réu justificou ter matado Afonso por ele ter rasgado uma toalha de mesa de sinuca de seu antigo bar e que a vítima não teria pago a dívida

 O QUE DISSE A ACUSAÇÃO

Vídeos de depoimentos do Ariosto durante a investigação policial foram exibidos durante a fala do Ministério Público. O assistente de acusação. O promotor Theodoro Silveira lembrou que após matar Bianca, o réu foi jantar e beber em casa de conhecidos. “Ele não pode conviver em sociedade”, alegou o promotor.  Daniel Tonetto, assistente de acusação, lamentou a saída do réu do local e pediu que jurados acolham todas as qualificadoras:

– Eu gostaria que ele estivesse aqui assistindo a tudo isso, mas ele não está porque é um covarde, maluco, desequilibrado de ruim – argumentou.

DEFESA 

A defesa de Ariosto tenta afastar a acusação de estupro. A advogada respondeu à fala da acusação dizendo que não admite que o réu seja chamado de covarde. Em sua tese, a defesa disse que as mortes foram um caso de “uma tragédia anunciada” e acusou órgãos públicos de omissão. Para a defesa, Bianca teve um caso com um tio e que ela teria desmentido as acusações de abuso ao Conselho Tutelar:

– Foi essa mentira que a levou à morte. Esse homem surtou, é verdade. Mas isso é motivo fútil, e não torpe.

 

Foto: Renan Mattos (Diário)

Fonte: Diário

 

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.