Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Ensolarado
29°
16°
17°C
Salto do Jacuí/RS
Ensolarado
Ensolarado
28°
16°
18°C
Arroio do Tigre
Ensolarado
Ao Vivo:
Política

Deputado quer proibir homenagens relacionadas ao comunismo: “Matou muito mais do que o nazismo”

Deputado quer proibir homenagens relacionadas ao comunismo: “Matou muito mais do que o nazismo”
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
06.08.2019 17h19  /  Postado por: Redação

Licenciado da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Rio Grande do Sul, o deputado estadual Ruy Irigaray (PSL) retorna à Assembleia Legislativa nesta terça-feira (6) para protocolar uma série de 10 projetos de lei.

Segundo o parlamentar, a licença é necessária para que ele possa dar encaminhamento a textos que considera importantes para o desenvolvimento do Estado e dos cidadãos, entre eles promessas feitas durante campanha. Ruy Irigaray assumiu o cargo no governo de Eduardo Leite no final de março, deixando então a cadeira no Legislativo.

— Eu não quis chegar no primeiro dia de mandato e apresentar propostas que pudessem estar inconsistentes. Queria conhecer um pouco do funcionamento da Assembleia, toda a questão jurídica, conhecer mais da estrutura pública, para assim, depois, apresentar projetos consistentes — explicou à coluna.

Uma das propostas prevê a proibição de homenagens relacionadas ao comunismo. Pelo texto, “fica vedado qualquer comemoração, homenagem a personalidades ou datas alusivas ao comunismo, e suas atrocidades. Fica vetado o financiamento público dessas comemorações”. À coluna, Ruy justificou:

— O nazismo já é proibido. O comunismo matou muito mais gente que o nazismo — afirmou.

Outro projeto polêmico acrescenta o revólver calibre 38 como artigo facultativo da pilcha. O deputado explica:

— Como o tradicionalismo gaúcho sempre teve a arma como uma das suas principais tradições, acho importante destacar — completou.

Há outros temas destacados na lista, como por exemplo aquele que institui o Programa de Incentivo ao Turismo da Secretaria de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul – PROTUR.  A intenção, segundo ele, é propor um modelo semelhante ao que já foi adotado no âmbito da segurança pública, quando empresários podem doar recursos para a área e fazer a compensação tributária. Ruy disse ter percebido a necessidade de contar com o empresariado a partir da experiência enquanto secretário.

— Acho importante envolver empresários. A gente tem muito empresário, eles querem investir. Mas também têm que ter algum retorno — disse.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.