Quarta-feira, 23 de Junho de 2021
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
18°
12°C
Salto do Jacuí/RS
Tempo nublado
Tempo nublado
18°
12°C
Arroio do Tigre
Tempo nublado
No ar: Bom Dia Geração
Ao Vivo: Bom Dia Geração
Notícias

Bolsonaro reforça crítica a medidas de isolamento: poderá haver “infinitas ondas” de Covid-19

Bolsonaro reforça crítica a medidas de isolamento: poderá haver “infinitas ondas” de Covid-19
Foto: Evaristo Sá
16.05.2021 09h54  /  Postado por: Reportagem

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado que poderá haver “infinitas ondas” de novo coronavírus e voltou a criticar governadores por adotarem medidas de isolamento social. As práticas são as únicas com comprovado controle da disseminação do vírus. “Já se fala em terceira onda, se vier a terceira onda, temos a quarta, quinta, sexta, infinitas ondas”, afirmou, em discurso a apoiadores em ato na Esplanada dos Ministérios. Ele também voltou a pressionar pel o voto impresso nas próximas eleições. Sem isso, conforme Bolsonaro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai ganhar “pela fraude”.

“Lamentamos as mortes por Covid, bem como as demais mortes no Brasil, mas devemos enfrentar o problema. Não é ficando embaixo da cama ou em casa que vamos solucionar esse problema. Tem uma passagem bíblica que diz: ‘se você for frouxo na hora da angústia, tua força é pequena'”, frisou o presidente.

No evento, Bolsonaro não usou máscara e promoveu aglomerações de milhares de pessoas, muitas também sem máscaras. Ele confirmou que vai participar, no próximo dia 23, da posse do novo presidente do Equador, Guillermo Lasso, mas disse que antes vai dar um “passeio de motocicleta” no Rio de Janeiro, contrariando recomendações “de 100%” de sua equipe. “Embarco para o Equador, um país que deu uma guinada à direita. Um presidente eleito democraticamente, que tem princípios e valores muito parecidos com os nossos aqui no Brasil”.

“Queremos eleições em 2022 onde o voto possa ser auditado. Se tiraram da cadeia o maior canalha da história do Brasil, se para esse canalha foi dado o direito de concorrer, o que me parece é que se não tivermos o voto auditável, esse canalha, pela fraude, ganha as eleições do ano que vem. Não podemos admitir um sistema eleitoral que é passível de fraude”, afirmou Bolsonaro.

Pela terceira vez em apenas dois dias Bolsonaro fala sobre Lula virar seu sucessor no Planalto. Pesquisa do instituto Datafolha, divulgada na última quarta-feira, mostra que o petista lidera a disputa presidencial com 41% das intenções de voto, contra 23% de Bolsonaro.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.