Sábado, 30 de Maio de 2020
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Parcialmente nublado
22°
10°C
Salto do Jacuí/RS
Parcialmente nublado
Parcialmente nublado
22°
10°C
Arroio do Tigre
Parcialmente nublado
No ar: Fim de Semana Mega Music
Ao Vivo: Fim de Semana Mega Music
Notícias

Banrisul aumenta oferta de crédito para pessoas físicas e jurídicas em função do coronavírus

Banrisul aumenta oferta de crédito para pessoas físicas e jurídicas em função do coronavírus
Governador Eduardo Leite disse que iniciativa busca minimizar impacto da pandemia na vida das pessoas - Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS
19.03.2020 09h33  /  Postado por: Redação

Com o objetivo de reduzir o impacto econômico a partir da pandemia do coronavírus, o governo do Estado definiu medidas iniciais que envolvem o Banrisul. As principais ações são voltadas para pessoas jurídicas. No entanto, pessoas físicas também serão beneficiadas pelas medidas. Na segunda-feira (16), o banco já havia anunciado aumento de prazo para renegociação de dívidas.

Foi definido que o Banco do Estado do Rio Grande do Sul irá conceder carência de até dois meses no pagamento de prestações de dívidas contraídas pelas empresas junto ao banco. Além disso, empreendedores que já tiverem alcançado o limite de endividamento em relação ao Banrisul poderão ampliá-lo em até 10%.

Também serão definidos a disponibilização de R$ 3 bilhões pré-aprovados para pessoas jurídicas que estejam no limite da capacidade de crédito e o prolongamento para até três anos no prazo para pagamento de parcelas referentes a empréstimos para o custeio da safra, no caso dos produtores rurais.

Para pessoas físicas, ações incluem ampliação de crédito totalizando R$ 11 bilhões e aumento automático de 10% no limite do Banricompras.

As medidas foram determinadas em encontro envolvendo o Piratini e representantes do Banrisul, do BRDE e do Badesul. O governador Eduardo Leite afirma que as ações não são focadas diretamente na economia, mas sim para garantir que as pessoas consigam seguir com as atividades necessárias.

— Não estamos falando em economia para salvar CNPJ, empresas, mas no que toca na vida das pessoas, dos funcionários, empregados, daqueles que vão ter a vida atingida. Parar tudo vai impactar na vida de muita gente e vai afetar empregos — explicou o governador.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.