Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
24°
18°
23°C
Salto do Jacuí/RS
Dia nublado
No ar: Frequência 107
Ao Vivo: Frequência 107
Ministério Público

MP deverá notificar pais que não vacinarem filhos contra sarampo e pólio em Salto do Jacuí

MP deverá notificar pais que não vacinarem filhos contra sarampo e pólio em Salto do Jacuí
Apenas 50% das crianças foram vacinadas em Salto do Jacuí - Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil
24.08.2018 11h15  /  Postado por: Elion Silva

Faltando oito dias para o fim da vacinação contra sarampo e pólio, apenas 50% das crianças foram vacinadas em Salto do Jacuí, segundo dados da secretaria municipal de Saúde. A cobertura está bem abaixo da meta, que é imunizar 95% das crianças de um a cinco anos incompletos até o dia 31 deste mês.

A responsável pelo setor de imunizações, enfermeira Aline Melo de Melo, diz que ainda espera que o número de imunizações cresça até o fim da campanha, abrindo a unidade de saúde do Bairro Navegantes, no sábado, 25, das 8h às 17h. “Para que os pais que por alguma razão não puderam durante a semana ou no sábado (dia 18, que foi o dia ‘D’), venham amanhã e tragam seus filhos. Depois nós faremos ações em localidades de difícil acesso”.

Segundo Aline*, o Conselho Tutelar e Ministério Público deverão notificar pais que não levarem seus filhos aos postos de saúde.

*Ouça entrevista no player acima.

No RS, pais podem perder a guarda se não vacinaram os filhos, alerta MP
O Ministério Público do Rio Grande do Sul lançou uma campanha para alertar os pais sobre a obrigação legal de vacinar os filhos. E para as consequências graves do descumprimento dessa obrigação.

No vídeo publicado numa rede social, a promotora do Ministério Púbico estadual gaúcho recomenda que os pais vacinem os filhos. “A vacinação é tremendamente importante, não só pela questão da saúde individual da criança, mas também a saúde coletiva das outras crianças com quem está criança não vacinada pode conviver”, explica Inglacir Delavedova.

Ela alerta para as consequências legais para quem não cumprir a determinação. A promotora diz que a medida foi necessária porque muita gente está dando ouvidos a notícias falsas sobre vacinas publicadas na internet e em mensagens por celular: “Existe muita desinformação nas redes sociais e isso traz de desserviço à saúde das crianças da nossa cidade e do nosso país no geral”.

Pelo Estatuto da Criança e do Adolescente é obrigatória a vacinação nos casos recomendados. Se houver descumprimento, os pais podem pagar multa e até perder a guarda dos filhos.

“Foi muito bem observado pelo Ministério Público. Ele está defendendo o direito da criança à saúde”, afirma Carlos Kremer, presidente da Comissão da Criança e do Adolescente da OAB/RS.

Escolas, postos de saúde… Qualquer pessoa pode denunciar. A partir daí, a promotoria analisa a carteira de vacinação da criança. Depois de receber a denúncia, o Ministério Público dá dez dias de prazo para que os pais comprovem que fizeram a vacinação. Se isso não acontecer, uma medida judicial de busca e apreensão pode obrigá-los a trazerem as crianças ao posto para tomar a vacina.

O Ministério da Saúde oferece de graça todas as 19 vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde.

Tríplice Viral
A proteção contra o sarampo faz parte das vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis conforme calendário de vacinação do Ministério da Saúde para crianças entre 12 e 15 meses. Devem ser vacinadas as crianças a partir de um ano e 4 anos 11 meses e 29 dias e adultos de até 49 anos que não tenham sido imunizados. Aqueles que tomaram as duas doses da vacina não precisam tomar nova dose, explicou a SES.

O Brasil está livre da poliomielite desde 1990, mas o país enfrenta dois surtos de sarampo, em Roraima e Amazonas.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.