Sábado, 17 de Novembro de 2018
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
26°
18°
23°C
Salto do Jacuí/RS
Nublado
No ar: Fim de Semana Mega Music
Ao Vivo: Fim de Semana Mega Music
Polícia

Mercado ilegal representa 54% da venda de cigarros

Mercado ilegal representa 54% da venda de cigarros
30.10.2018 09h10  /  Postado por: Magali Drachler

O Ibope divulgou pesquisa que apresenta o crescimento do mercado ilegal de cigarros no Brasil neste ano. Os dados apontam que 54,28% de todos os cigarros vendidos no País são ilegais – índice 6% superior ao de 2017. Desse montante, 50% foram contrabandeados do Paraguai e o restante foi produzido por clandestinos que operam em território nacional. O patamar, considerado inédito pelo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco), representa a circulação de 57 bilhões de cigarros ilegais, enquanto o consumo de produtos brasileiros caiu para 48 bilhões de unidades no período. O Ibope entrevistou 8.266 consumidores em 208 municípios do Brasil.

Para o presidente do Etco, Edson Vismona, o principal estímulo a esse crescimento é a diferença tributária nos dois países. O Brasil cobra, em média, 71% de impostos sobre o cigarro legal, chegando a 90% em alguns estados. Enquanto isso, no Paraguai, as taxas são de apenas 18%, o percentual mais baixo da América Latina. O dirigente ressalta que, diante desse cenário, a média de preço dos produtos ilegais vem caindo: neste ano, a diferença do valor cobrado entre os cigarros brasileiros e paraguaios chegou a 128%.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria do Fumo (Abifumo), análises periódicas demonstram que cerca de 50% dos cigarros ilegais consumidos nas grandes capitais brasileiras vêm do Paraguai. Em comunicado, a entidade ressalta que, conforme estimativa da Receita Federal, o valor das apreensões de cigarros em 2018 deverá superar o montante histórico de 2017. Somente de janeiro a setembro deste ano foram 213,8 milhões de maços.

Durante todo o ano passado, 221,96 milhões de carteiras foram apreendidas. “O contrabando de cigarros é um problema de segurança pública no Brasil, pois financia facções criminosas, apoiando o narcotráfico, a compra de armamento pesado e o roubo de cargas. Também é uma questão de saúde pública, pois os produtos contrabandeados não passam por controle sanitário e de qualidade”, diz a nota.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.