Segunda-feira, 22 de Outubro de 2018
Telefone: (55) 3327 1071
Whatsapp: (55) 99732 1071
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
27°
14°
16°C
Salto do Jacuí/RS
Noite limpa
Ao Vivo:
Saúde

“A única maneira de garantir a continuidade do Plantão 24 horas é a conscientização e educação dos usuários”

“A única maneira de garantir a continuidade do Plantão 24 horas é a conscientização e educação dos usuários”
02.10.2018 15h01  /  Postado por: Magali Drachler

A forma como os usuários do plantão 24 horas do Hospital Santa Rosa de Lima de Arroio do Tigre estão utilizando os serviços, disponibilizado através de convênios com os municípios de Arroio do Tigre e Estrela Velha, está preocupando médicos, a administração e a Secretaria da Saúde. Uma avaliação, realizada nesta terça-feira, durante entrevista à Geração FM, mostrou que muitas pessoas procuram a instituição para casos eletivos, ou seja, quando não são  urgência nem emergência.

A Secretária da Saúde, Verediana Limberger, disse que o serviço, de um modo geral, é considerado satisfatório, segundo avaliação feita  recentemente durante reunião. “Estamos bem servidos no que se refere a urgência e emergência, porém precisamos fazer algumas ressalvas para manter este serviço em funcionamento. O hospital só deve ser procurado em casos de necessidades”, relatou.

A administradora do Santa Rosa de Lima, Madalena Pasa, por sua vez frisou que a única maneira de garantir a continuidade dos atendimentos 24 horas, sem custos, através do Sistema Único de Saúde (SUS) é a conscientização e a educação. “Só o bom senso dos munícipes é que vai garantir que o plantão permaneça em funcionamento, pois o papel do hospital é salvar vidas. O hospital não é lugar de consultas, nem de exames. É para internação e para quem realmente vem doente”.

Ela disse que somente em setembro foram realizados 22 atendimentos por dia, número bastante alto.

O médico Mauro Gimenéz Olazar disse que “o serviço está disponível para garantir que ninguém venha ao óbito sem atendimento, para que ninguém deixe de ser atendido quando realmente é necessário, e não para satisfazer as necessidades de quem acha que não pode esperar”.

Ele ainda citou o que se enquadra dentro do plantão, como emergência: complicação de diabetes: uma hipoglicemia muito severa ou uma hiperglicemia. Isso é gravíssimo; crises convulsivas ou epilepsia; desconforto respiratório grave: aquelas pessoas que têm um enfisema gravíssimo ou crianças com asma; dor no peito associada a falta de ar; estados de coma; intoxicação por veneno; lesão na coluna; parada cardiorrespiratória e trauma craniano grave.

Falou também o que caracteriza urgência: alterações de sinais vitais; pressão muito alta; crise de asma; desmaios; dor abdominal ou de cabeça intensa; febra alta acima de 39,5 graus; hemorragias; náuseas, vômitos e diarreias persistentes; sangramentos vaginais com dor abdominal; trauma craniano leve.

No entanto, a maioria dos casos atendidos são eletivos, ou seja, os crônicos, como dores de mais tempos (estes precisam ser acompanhados), ardência para fazer xixi; crises nervosas; dores musculares; dor de cabeça leve; entorses; febre abaixo de 39 graus; fraqueza; gripe; dor de garganta ou tosse há vários dias.

De acordo com Olazar, há a possibilidade de ser implantado o Protocolo de Manchester que prioriza os atendimentos conforme a sua urgência ou emergência. Os não urgentes, por exemplo, os usuários, poderão ter que aguardar até 5 horas.

 

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.